domingo, julho 20, 2008

"Amor do Caralho"

Que me perdoem os poetas e seus versos perfeitos, mas hoje eu quero falar do amor sem rimas, amor fodido, amor de puta-que-o-pariu, amor puto. Daqueles que não tem efeitos especiais, nem declarações capazes de fazer a terra tremer e muito menos jantares a luz de velas.

O amor que você sabe, não vai estar ali pra dormir abraçado todas as noites, nem pra lavar seus cabelos na hora do banho, nem pra te mandar flores no dia dos namorados. Mas vai estar ao teu lado quando a porra da sua vida-sacana virar de pernas pro ar, quando te cortarem a conta de luz, quando tua rinite atacar, ou quando seu cachorro morrer.

O amor que te diz o quanto você é idiota de ainda cometer os mesmos velhos erros e acreditar nessa merda de coraçãozinho rabiscado no papel.

É, é isso. Aquele amor cheio de palavras sujas e verdades na cara, porque um amor dos bons é aquele que não viraria propaganda de margarina, é aquele que não tem o "eu te amo" de todas as manhãs de café-da-manhã-feliz só pra camuflar o que não tá legal.

Foda-se os caras que já dormiram na minha cama e que me proporcionaram orgasmos incríveis e desejos incontroláveis, mas nenhum deles foi digno de ser o amor do C-A-R-A-L-H-O (é, desculpem o pleonasmo, foi inevitável) que eu cito nesse texto.

É desse amor tão digno que eu não abro mão. É por esse amor que eu brigo e xingo e resmungo e choro e quebro a cara e peço desculpas. É através desse amor que eu enxergo meus lixos e meus luxos. É nele que eu me vejo e me perco e me acho e me protejo e me curo. É o amor que me diz: "- Eu não vou passar a mão na sua cabeça, cretina." enquanto me aponta o caminho certo.

E é esse, sem nenhum romantismo e cheio de murros na parede, o único amor que me dá a certeza que eu posso ser o que eu quiser na vida, até mesmo a madrinha dos seus futuros filhos e melhor amiga da mulher da sua vida, sem que isso mude uma vírgula nesse "amor do caralho" que eu sinto por ele.

Um comentário:

paulo_rs2 disse...

"quando tua rinite atacar"?

¬¬